Depoimentos

Na nossa academia temos um aluno muito especial que é o Arthur Barros. Ele está com a gente desde o comecinho da academia, deve estar com seus 5, 6 anos de Jiu-Jitsu ou mais!

Dentro desse tempo aí tem muitas histórias. Teve o dia que ele foi embora da academia sem avisar pra ninguém… muitas, muitas histórias… uma vida mesmo de proximidade.

Nesse tempo todo, o que a gente mais aprende com isso, não só com o Arthur mas no geral, é ter a compaixão com o tempo de cada um; cada um tem o seu tempo, tudo no tempo de Deus, tudo no tempo certo.

O Arthur desenvolve como todas as outras crianças, no tempo dele, quando ele tem vontade. Ele aprende tudo, faz tudo, menino educado, menino amoroso; só que no tempo dele. Ele já está com idade de partir para o treino de juvenil mas ele ainda quer ser criança e a gente vai esperar o tempo dele. O Arthur vai evoluindo e nós vamos acompanhando.

Na prática, não há diferença entre o Arthur e uma criança que não tem autismo, a diferença é só a velocidade de aprendizado.

Uma segunda diferença, de uma maneira positiva, é que 80% das crianças param, o Arthur não. Ele é constante. Ele vem, dá sequência, aprende, evolui e todo esse processo, todo esse tempo juntos tem sido maravilhoso. Cada fase, cada idade são novos desafios que, graças a Deus, tem sido uma bênção, tem sido só prazer tê-lo no tatame com a gente!

Oss! Fiquem com Deus!

Mestre Gustavo Almeida

Arthur foi meu aluno no 4° ano do Ensino Fundamental, e sou grata por fazer parte de sua vida, presenciando todas as suas conquistas.

A palavra especial faz parte do universo de Arthur, não por ser autista, mas sim pela pessoa que é: carinhoso, sorridente, criativo, cativante e talentoso.

Convivendo com este menino adorável, percebi que o que limita as pessoas, é o nosso próprio olhar, que crítico, já estabelece a capacidade do outro…mas, basta um olhar de amor, para encontrarmos habilidades e talentos, que só necessitavam de espaço e liberdade para se expressarem.

Lembro-me de uma aula de Geografia diante do mapa mundi, onde as crianças apresentaram dificuldades para localizar e nomear continentes…. E para surpresa dos colegas, lá foi Arthur demonstrar suas habilidades, identificando até a Europa!

A música e o desenho sempre me trouxeram calma e relaxamento, e pensando assim, resolvi entregar papel e lápis para Arthur desenhar… Que máximo!! Um talento!! Desenhos que tinham movimento, expressões e identidade própria. E assim, durante todo o ano, utilizei o “desenhar” antes das atividades, para que ele se sentisse relaxado e confiante.

Quando olhei o livro do Arthur, reconheci imediatamente os traços dos desenhos…. Sim, todas as ilustrações partem de sua sensibilidade e são de sua autoria.

 Orgulho imenso, deste que leva o nome de Arthur, que tem como um dos significados, grande rei guerreiro!

Professora Lily

Deixe seu Depoimento

Para deixar seu depoimento preencha corretamente o formulário abaixo

Whatsapp
Enviar